filtro solar no inverno

Nos deliciosos dias ensolarados de inverno em que corremos para o sol para nos aquecermos, também devemos ter em mente a necessidade de proteção solar. Apesar do menor risco de queimaduras pois realmente o sol está mais fraco e distante da Terra, há boas razões para não nos descuidarmos e usarmos um filtro solar.

Quais os principais problemas gerados pela exposição solar sem proteção?

  1. Câncer de pele: O câncer de pele é uma preocupação constante dos dermatologistas. Há 3 tipos principais e sua incidência está aumentando cada vez mais apesar de todas as campanhas. Um desses tipos, o melanoma pode ser muito perigoso se não for detectado precocemente e pode aparecer em qualquer idade.
  2. Fotoenvelhecimento: Há o risco de manchas escuras, castanhas no rosto e corpo, manchas brancas no colo, pernas e braços, fotoenvelhecimento (as alterações cutâneas pelo efeito cumulativos das radiações ultravioletas: rugas, manchas, perda de elasticidade), avermelhamento do pescoço, pele que fica com aspecto ressecado e sem vida.
  3. Alergias solares: têm sido frequentes nos últimos 20 anos, provavelmente pela violência que a radiação incide no brasil, graças às falhas na camada de ozônio.
  4. Outras doenças desencadeadas pela exposição solar descontrolada: Além das doenças já citadas diretamente causadas pelo sol, há as doenças ligadas à baixa de imunidade regional que a radiação ultravioleta provoca:
    • Herpes labial: as bolhinhas nos lábios desencadeadas pela queimadura solar na região, que ativa o vírus do herpes incubado.
    • Lupus eritematoso: doença reumática auto-imune que pode afetar a pele e os órgãos internos.
    • Acne solar: espinhas resistentes especialmente nas costas, no peito e ombros.
    • Erupção de luz: de aspectos diversos, podem formar placas pelo corpo e rosto.

Quais os benefícios da exposição solar se feita de forma correta?

O sol tem seus benefícios e se for tomado com os devidos cuidados pode ser um aliado, sintetizando vitaminas, fortalecendo os ossos, conferindo um belo bronzeado e sendo até mesmo antidepressivo.

Qual a diferença entre filtro solar e bronzeador?

Os filtros solares hoje em dia são sinônimos de bronzeados, tenha isto em mente se você quiser exibir um bronzeado esplêndido, duradouro, homogêneo e uma pele jovem e fresca.

Qual a mínima proteção necessária?

O rosto deve estar protegido na praia, na piscina, nas caminhadas, com proteção FPS 15 pelo menos. Quanto mais clara for a cor da pele, mais cuidado com o sol ela requer e assim maior o fator de proteção necessário. Dermatologistas costumam recomendar que se use filtro solar pelo menos FPS 15, especialmente nas áreas mais delicadas como rosto, tronco e mãos. Hoje em dia, muitos cremes corporais ou creme para as mãos já vem com um protetor solar.

Como funcionam os protetores e o que significa FPS?

Os produtos modernos protegem sua pele das radiações que causam queimaduras, câncer de pele, envelhecimento e ao mesmo tempo deixam passar os rais responsáveis por um lindo bronzeado.

O fator de proteção solar (FPS) indicado nos rótulos aponta quantas vezes o produto aumenta o tempo em que a pessoa pode ficar exposta sem sofrer queimadura solar.

Assim, se uma determinada pessoa levasse 20 minutos para ficar vermelha ao sol, sem nenhuma proteção, ao usar filtro solar com FPS 15, este tempo se multiplicaria por 15 e ela levaria então 300 minutos (5 horas) para ficar vermelha ! Isto representa uma grande vantagem e liberdade, especialmente para os que tem pele muito sensível.

Temos que ter em mente que todas as alterações graves ou simples, estão ligadas à exposição cumulativa e o sol que se toma hoje é computado para amanhã, portanto aqueça-se ao sol sim, mas sempre com filtro solar adequado para a sua tonalidade de pele!


Quer ler sobre mais assuntos de saúde e beleza? Curta nossa página no Facebook agora e confira nossas últimas novidades!

Escrito por Blog Ligia Kogos

    1 comentário

  1. Teimur 31 de outubro de 2017 at 13:13 Responder

    Muito obrigada!

Envie um comentário