pes-rachados

A beleza dos pés também merece atenção. Calcanhares e unhas sem cuidado podem estragar toda sua produção. Nossos pobres e sacrificados pés são muitas vezes os últimos a receberem nossa atenção ao nos arrumarmos, mas cuidado, muita gente está reparando nos seus pés para avaliar se você é mesmo uma pessoa bem cuidada e até mesmo… refinada!

Os pés ressecados desenvolvem calosidades e zonas ásperas, calcanhares e pontas dos dedos grossas, por vezes cheias de rachaduras nos pés…

Causas para as Rachaduras nos Pés

  • Pressão exercida pelo peso do corpo sobre os pés – em reação a isso a pele engrossa numa reação de defesa, para suportar melhor esta pressão;
  • Atrito causado pela constante fricção dos pés com o calçado ou com o chão – da mesma forma, a natureza sábia faz com que a pele se espesse para suportar este atrito sem formar bolhas (por isso é frequente que numa viagem onde se caminha muito, ao usar um mesmo sapato, se formem bolhas nos locais de atrito. Na cicatrização, a pele que antes ostentava a bolha se torna mais grossa);
  • Pele dos pés tem camada superficial naturalmente mais grossa (a chamada camada córnea, de células “mortas”), o que faz com que seja sempre mais ressecada (como em cotovelos, palmas, joelhos);
  • Defeitos e vícios ao caminhar concentram a pressão em determinados pontos que sofrem mais desenvolvendo calosidades mais exuberantes;
  • Sapatos apertados de bico fino ou tênis que batem nas pontas dos pés durante caminhadas, esteira e exercícios causam danos nas pontas dos dedos, pressionando as unhas, especialmente a dos dedões, provocando o espessamento de queratina sob as unhas, facilitando o aparecimento de micoses nas unhas, a onicomicose e ocasionam também as calosidades.

Como Tratar Pés Rachados e Ressecados em 3 Passos?

1.) Pés grossos e cansados se recompõe num passe de mágica se você puder tapar o ralo do box que tenha certa profundidade, deixando-os numa certa imersão enquanto se toma banho. Isto amolece a pele grossa e atenua dores. Você verá que a pele grossa dos calcanhares, calos, joanetes vai em parte se despregando. Nesta hora pode-se fazer esfoliação, usando-se um bom esfoliante corporal com grãos abrasivos, bucha áspera ou pedra pomes.

2.) Ao sair do banho, aplique generosamente creme hidratante com ureia, ácido glicólico, ácido lático, ácido salicílico e alantoína nos pés e unhas. Se preferir aplique o creme diariamente antes de dormir. Em casos mais graves, uma noite ou outra aplique o creme e envolva os pés com magipack (papel filme de PVC) para concentrar bem o produto.

3.) Cuide das calosidades, raspando-as com lixa ou lâmina, com muita calma e cuidado, após um banho quente e aplicando creme para os pés com ácido glicólico e/ou ácido salicílico logo após. Assim, previne-se que os calos se refaçam rapidamente, cresçam e doam. Existem produtos adesivos para tratar os calos nas farmácias à base de ácidos.

Para Casos Extremos:

Ressecamentos intensos não tratados podem evoluir para rachaduras nos pés que doem muito, fazem com que a marcha fique defeituosa, pois espontaneamente a pessoa evita encostar o pé no chão no ponto dolorido, causando inclusive problemas de coluna, dores nas costas e nas pernas. Estas fissuras podem se infectar por bactérias, servindo de porta de entrada para micro-organismos capazes de causar infecção e inflamação nos pés e pernas. Se há rachaduras nos calcanhares, além dos hidratantes recomenda-se cremes cicatrizantes e antissépticos, com clostebol e alantoína.

Resultados em Curto Tempo!

Na maior parte dos casos, após uma semana de bons cuidados os pés “agradecidos” já mostram ótimos resultados: pés mais macios, finos e bonitos. Pés ressecados e rachados viram coisa do passado.

Se você gostou desse tema, leia também nosso post sobre Cuidados com a Pele Ressecada onde mostramos diversos cuidados ótimos para melhorar o ressecamento da pele, principalmente durante o inverno!

Pés rachados e ressecados – Dicas de Tratamento e Prevenção


Curta nossa fanpage FACEBOOK para receber diariamente dicas e novidades de beleza.

Escrito por Blog Ligia Kogos

Envie um comentário